NOVO SISTEMA PERMITE BLOQUEAR CELULAR ROUBADO APENAS COM O NÚMERO DA LINHA

Luís Osvaldo Grossmann … 08/03/2016 … Convergência Digital

Ficou mais fácil bloquear um celular perdido, furtado ou roubado. Uma mudança no sistema de registros vai permitir inutilizar o aparelho apenas com o número da linha. Além disso, começam a ser firmados acordos com as polícias estaduais de forma que essa operação seja feita simultaneamente com o boletim de ocorrência. Também será possível fazer bloqueios em massa, de forma a também atender lojistas e transportadores em casos de roubo de cargas.

“O que levava dias agora vai levar horas, o que deve reduzir muito para desmotivar esse tipo de crime”, afirmou o presidente da Anatel, João Rezende, durante a apresentação da nova ferramenta nesta terça, 8/3. “É uma medida pontual, mas fundamental para invalidar qualquer celular. Então acreditamos que o bloqueio é um desincentivo para qualquer tentativa, inclusive de roubo de carga, algo que tem um grande apelo dos atacadistas”, completou.

É uma modificação gestada há anos. Até aqui, para bloquear um aparelho o dono precisava saber o número do IMEI, o código internacional que identifica cada celular no planeta. Ele consta da nota fiscal e é fácil de ser encontrado caso o aparelho esteja à mão – o que obviamente não se dá em caso de roubo, furto ou extravio. Agora, o próprio sistema pesquisa nos últimos 30 dias para verificar qual IMEI estava associado ao número da linha.

“O sistema não é novo, mas tem modificações importantes que permitem uma efetivação em algumas horas, não em cinco ou seis dias. As mudanças foram feitas porque o roubo de celulares estava virando uma indústria. Então as operadoras, com a ABR, buscaram uma solução. Anatel coordenou isso e criou um grupo com vários órgãos de segurança”, explicou o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, José Alexandre Bicalho.

As polícias civis do Espírito Santo, Bahia e Ceará já firmaram o acordo com a ABR Telecom (a mesma que administra a portabilidade e já cuidava do CEMI, o cadastro de estações móveis impedidas). Segundo a agência, Rio de Janeiro e São Paulo estão avançados e devem assinar com a ABR nos próximos dias. “Esperamos que com a divulgação a gente tenha uma adesão rápida e grande dos órgãos que ainda não estão”, emendou Bicalho. Goiás e Mato Grosso também estão na fila, além da Polícia Federal – por causa do roubo de cargas.

Nesse caso também há melhorias. Será possível incluir no sistema o bloqueio de vários IMEIs simultaneamente, novamente apostando na agilidade da inutilização dos aparelhos para inibir o crime. “No caso de roubos massivos, o processo não era automatizado e acontecia muitas vezes de os aparelhos chegarem de volta ao mercado antes de o bloqueio ser efetivado. Agora será possível fazer em bloco”, disse o superintendente da Anatel.

A Anatel ressalta que ainda é importante saber o IMEI, seja pela caixa do aparelho, pela nota fiscal ou digitando o código *#06# no celular. Como a pesquisa que associa o número ao IMEI busca os últimos 30 dias, o recado é relevante no caso de aparelhos há muito sem uso ou para consulta se um aparelho está bloqueado antes de comprar um celular de segunda mão.

Nesse último caso, há também uma página na internet que permite a consulta ao cadastro (nacional e internacional) de aparelhos bloqueados: www.consultaaparelhoimpedido.com.br. Já os órgãos de segurança interessados devem procurar a Anatel através dos e-mails coge@anatel.gov.br ouprre@anatel.gov.br.

Estrada São José e Imboassica, 1.000 / Salas 213 e 214- Imboassica
Macaé - RJ - 27.925-540
Telefone: (22) 3737-0037